Alegria sempre em nossos corações . . . Muita Paz Saúde Luz e Amor .... Alegria sempre em nossos corações  Muita Paz Saúde Luz e Amor

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Reflexões espirituais - Toques dos iniciados



:: Wagner Borges ::


(Na Balada Extrafísica com os Mentores Espirituais)

No centro da noite, eu escuto um chamado sutil.
Vem do alto e entra pelo topo de minha cabeça.
E vai direto ao meu peito...
É silencioso, mas eu o escuto com o coração.
É portentoso e, ao mesmo tempo, simples.
Relaxo a mente e as emoções, e fico quietinho.
Então, de espírito a espírito, capto os toques dos Iniciados...

* * *

1. Violência é doença! A cura é a meditação serena.
2. Quem semear, colherá!
3. Com trevas no coração, como alcançar o samadhi?*
4. Objetivos levianos sempre atraem realizações tacanhas.
5. Carregar a luz em si mesmo não é tarefa para fracos de espírito.
6. Coração escuro atrai situações e entidades trevosas.
7. Espiritualidade é ação. Não é discurso. É estado de consciência.
8. Reunião espiritual não é ponto de encontro social!
9. A quem muito é dado, muito será cobrado. Conhecimento demanda responsabilidade.
11. Quem quer voar espiritualmente, que largue as correntes do medo.
12. Quem quer ir para o Alto, que se deite no leito pensando no Alto!
13. Semelhante atrai semelhante. Quem procura, acha!
14. Quem esquece a lanterna, perde-se na escuridão da noite.
15. Quem esquece o discernimento, tromba feio com as trevas.
16. Muitos se deitam em leitos com lençóis brancos e macios, porém, com a aura** suja e com presenças invisíveis muito escuras agarradas neles.
17. Se a prece é de coração, tudo que é trevoso se afasta.
18. Aparência externa engana muito. Mas as energias revelam o que cada um é. Na luz, o real sempre aparece.
19. Anda na beira do abismo quem se deixa levar pela raiva.
20. O Invisível é a origem de todo visível. Quem ama, sabe!
21. Liberdade não é fazer tudo que se quer. É saber viver em equilíbrio e bem consigo mesmo.
22. Quem é da luz, respeita as trevas. Mas não se mete com elas.
23. Grandes enganadores sempre pagam um preço alto: também acabam enganando a si mesmos, até mesmo pela força do hábito.
24. Bons estudantes espirituais não fazem por menos: jamais se deitam sem erguer os pensamentos ao Alto. E, quando acordam, fazem o mesmo.
25. O homem não é poderoso o bastante para deter a corrente do tempo e o desgaste natural do seu veículo físico. Então, de onde vem sua arrogância?
26. Quem pondera, descobre o essencial: é só o Supremo que sabe o tempo certo de cada um. O Poder real é o d'Ele.
27. As grandes provas estão nas coisas simples da vida. E os grandes mestres são simples, como a vida...
28. Bons estudantes espirituais não fazem por menos: não reclamam das provas do caminho. E tiram lições delas, para seguir em frente com mais sabedoria...
29. Se alguém tiver ódio de alguém, não é da luz, pois seu coração escuro o liga a outras coisas trevosas.
30. Quem bate é fraco de caráter. Forte é quem ama e compreende.

* * *

No centro da noite, eu medito e aprendo.
Sondo o meu coração e pondero...
E sinto várias presenças invisíveis, serenas e amigas, me saudando.
E, por incrível que pareça, elas me agradecem por eu ter escrito.
E eu também agradeço a elas, por me passarem reflexões tão legais.
Então, elas e eu agradecemos juntos ao Supremo, por tudo.
E a noite se ilumina, na graça do Todo*** que está em tudo.

P.S.:
Às vezes, quem está no meio da multidão agitada, está mais só do que imagina. E quem, aparentemente, está só, mas na Luz, está mais acompanhado do que pensa, pois se sente ligado a miríades de seres luminosos pelo espaço infinito...


Na noite das baladas, onde homens, mulheres e espíritos infelizes se engalfinham energeticamente, sedentos de sensações alienantes na atmosfera escura da grande metrópole de aço e concreto, onde o Grande Arquiteto Do Universo também me colocou para viver, aprender e trabalhar, eu escutei um chamado sutil para outra balada, em espírito.


E minhas companhias de balada consciencial são o sábio Sanat Khum Maat e o grupo extrafísico dos Iniciados****. É com eles que vou viajar espiritualmente daqui a pouco, logo que deitar a carcaça no leito.
E, graças a Deus, não estão limpos apenas os lençóis da cama, mas a aura também*****.
E eu vou me deitar pensando no Alto, como deve ser...

Paz e Luz.
Wagner Borges - São Paulo, 09 de agosto de 2008.
(Madrugada de sexta-feira para sábado, noite das baladas, dos homens e dos espíritos, onde quem manda é a sintonia daquilo que se busca - e as companhias correlacionadas a isso. Há baladas agitadas na noite escura do mundo. E outras baladas, extrafísicas, com os mentores espirituais, na Luz do Céu. Mas, só chega lá quem deita pensando no Alto, e com os lençóis e a aura bem limpinhos.)
- Notas:
* Samadhi - do sânscrito - expansão da consciência; estado de consciência cósmica.
** Aura - do latim, aura - sopro de ar - halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.
*** O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
**** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são iniciados em fazer o bem, sem olhar a quem.
Obs.: Para saber mais sobre o mestre extrafísico Sanat Khum Maat,
ver o texto 139 - postado pelo site do IPPB no ano de 1999, onde revelo alguns detalhes sobre sua presença espiritual.
Há outros textos dele postados na seção de textos periódicos do site enviados semanalmente - www.ippb.org.br. Devido à profundidade de seus apontamentos, é um dos mentores mais queridos dos leitores, que, frequentemente, enviam e-mails pedindo mais textos de sua autoria espiritual.
(A coletânea de textos espirituais de Sanat Khum Maat está publicada em meu oitavo livro: Ensinamentos Extrafísicos e Projetivos, lançado pela Editora Madras, em 2005).
***** Ensinamento de Mikhael Aivanhov:
O mundo invisível é tão povoado quanto o mundo visível; e, nos lugares onde os seres humanos vivem, milhões de entidades luminosas ou trevosas vão e vêm, circulam, sem que eles percebam isso. Se os seres humanos não consagram a própria casa, se não se circundam com uma barreira de luz, as entidades trevosas, encontrando as portas abertas, entram e fazem estragos.
Na Natureza, todas as criaturas desconfiam: pássaros, animais e insetos levantam ao seu redor obstáculos para impedirem de serem encontrados e capturados. O ser humano, que aprendeu a se proteger no plano físico, não suspeita que também possa ser ameaçado - e muito mais perigosamente - no plano psíquico: uma multidão de espíritos maléficos se obstina, dia e noite, para levar a humanidade à ruína. Felizmente, a humanidade também tem protetores, entidades luminosas e cheias de amor, e é graças a eles que ela ainda não foi destruída; mas é preciso que nós, através de um trabalho consciente, as ajudemos a nos proteger.
Obs.: Enquanto passava essas linhas a limpo, lembrei-me de um texto antigo, do qual gosto muito, e que apresenta estreita relação com a temática desses escritos. Segue-se o mesmo logo abaixo.



TELAS DA VIDA

Somos pintores, e nossa mente é a tela.
Projetamos nela as cores dos nossos pensamentos e aspirações.
Às vezes, criamos atmosferas coloridas. Porém, em outros momentos, pintamos as cores de nossas dores e desejos infelizes.
Quando unimos nossos pensamentos aos pensamentos de Jesus, Krishna, Buda e tantos outros mestres de consciência, pintamos com eles e nos tornamos cocriadores de atmosferas felizes.
Entretanto, quando unimos nossos pensamentos às vibrações infelizes, sintonizamos as mentes imersas nas trevas conscienciais. Tornamo-nos, assim, sócios espirituais na produção de telas trágicas.
Tudo é questão de sintonia!
Nossas telas de vida refletem a qualidade de nossos pincéis (escolhas e atos).
Nossas cores são o reflexo do que somos.
Viver é pintar!
Pensamentos emolduram situações e atmosferas.
Podemos pintar alegrias ou desgraças nas telas de nossas vidas.
Tudo depende da inspiração do pintor.
Em escala maior, o universo é a imensa tela onde o Todo projeta as tintas do Amor infinito.
Somos expressão dessas cores magnânimas.
Portanto, podemos ser cocriadores de climas felizes nas telas do infinito de nossas vidas.
Então, que nossas telas tenham as cores da paz!*

- Wagner Borges - pintando a matéria com a cores da espiritualidade...
(Texto extraído do livro Falando de Espiritualidade - Wagner Borges - Editora Pensamento - 2002).
- Notas:
** Sobre o trabalho com as cores, há um ótimo ensinamento de Mikhael Aivanhov:
É a luz que contém as verdadeiras riquezas. Quando aprenderem a trabalhar com ela, sentirão que as suas relações com os seres humanos melhoram pouco a pouco.
Por quê? Porque quando se é rico, torna-se generoso.
É porque vivem na abundância e na plenitude que os Iniciados e os Grandes Mestres necessitam ajudar os outros e amá-los.
Vocês ainda não sabem o que a luz contém como força, clareza, pureza, inteligência...
Compreenderão isso quando tiverem aprendido a trabalhar com as sete cores que compõem a luz branca.
Cada cor é expressão de uma virtude: o vermelho é a vida, o amor; o laranja, a saúde, a santidade; o amarelo, a sabedoria; o verde, a evolução, a eternidade; o azul, a verdade, a paz; o índigo, a força; o violeta, o amor espiritual e a onipotência divina.
Trabalhem com as virtudes das sete cores e se sentirão ricos com todas as suas bênçãos.
(Omraam Mikhaël Aïvanhov (1900-1986) - mestre espiritualista búlgaro, que morou a maior parte de sua vida na França, onde fundou a Fraternidade Branca Universal - www.fbu.org (não confundir com a Fraternidade Branca do Himalaia, dos mestres, que se situa em planos sutis). É um dos mentores espirituais dos trabalhos do IPPB. Mais informações sobre o seu trabalho podem ser conseguidas em nosso site - www.ippb.org.br. Basta entrar na seção de busca por palavras do site e clicar o seu nome. Daí, surgirão diversos textos dele postados em várias seções do site, e aí é só mergulhar em seus escritos e se fartar de ler textos excelentes e cheios de sabedoria espiritual e humana.)


Compartilhe